1 Ciência & Saúde Coletiva 2009 Vol: 14(1):. DOI: 10.1590/S1413-81232009000100036

A reforma psiquiátrica no Brasil: uma (re) visão

This paper aims at contextualizing the Brazilian Psychiatric Reform by reviewing theoretical and practical milestones in the country's policies. Theses, dissertations, papers published in a database (Scielo), books on the theme, and official documents (conference reports, laws, bills) published between 1990 and 2007 were studied. The results show the advances and challenges of the Psychiatric Reform and point to the immediate need of a program for qualifying personnel; the need to use primary care, mainly the Family Health Program; the need to finance primary care; the adoption of the principles of the psychiatric reform; the need to individualize treatment, psychosocial rehabilitation; integrated care; and therapeutic project constructed collectively through the use of interdisciplinary and trans-disciplinary approaches, as well as constant assessment of the current practices. It is also pointed out that Reform projects are not homogeneous, i. e., practices happen according to the professionals' theoretical conception. This means that there are general guidelines, but that they are subordinated to the specific settings where the practices are carried out.

Mentions
Altmetric
References
  1. Organização Mundial de Saúde/Organização Panamericana de Saúde. Declaração de Caracas. Conferência Regional para a Reestruturação da Atenção Psiquiátrica na América Latina no Contexto dos Sistemas Locais de Saúde (SILOS).nov 14; Caracas, Venezuela. Caracas: OMS/OPAS; 1990 , (1990) .
  2. Brasil. Ministério da Saúde. Carta de Brasília. Princípios Orientadores para o Desenvolvimento da Atenção em Saúde Mental nas Américas. [acessadomar 07]. Disponível em: Link , (2006) .
  3. Nicácio MFS. O processo de transformação da saúde mental em Santos: desconstrução de saberes, instituições e cultura [dissertação]. São Paulo (SP): Pontifícia Universidade Católica de São Paulo , (1994) .
  4. Bezerra Jr B. Cidadania e loucura: um paradoxo? In: Bezerra Jr B, Amarante P, organizadores. Psiquiatria sem hospício: contribuições ao estudo da reforma psiquiátrica. Rio de Janeiro: Relume Dumará , (1992) .
  5. Aguiar MGG. A reinvenção do ser enfermeira no cotidiano da Casa de Saúde Anchieta e núcleos de atenção psicossocial [dissertação]. São Paulo (SP): Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo , (1995) .
  6. Brasil. Ministério da Saúde. Legislação em Saúde Mental– 2004. 5ª ed. [acessado 2007 set 05]. Disponível em: Link , (1990) .
  7. Consoli GL, Hirdes A, Costa JSD. Saúde mental nos municípios do Alto Uruguai, RS, Brasil: um diagnóstico da Reforma Psiquiátrica. Cienc Saude Colet [periódico na Internet][acessado 2006 nov 23]. Disponível em: Link coletiva/artigos , (2006) .
  8. Brasil. Ministério da Saúde. Base de dados do DATASUS. [acessadofev 26]. Disponível em: Link , (2005) .
  9. Rotelli F, Leonardis O, Mauri D, Risio C. Desinstitucionalização. São Paulo: Hucitec , (1990) .
  10. Amarante P. O homem e a serpente: outras histórias para a loucura e a psiquiatria. Rio de Janeiro: Fiocruz , (1996) .
  11. Goldberg J. Clínica da psicose: um projeto na rede pública. 2ª ed. Rio de Janeiro: Te Corá/Instituto Franco Basaglia , (1994) .
  12. Brasil. Ministério da Saúde. Dados referentes à reforma psiquiátrica: redução de leitos psiquiátricos e ampliação da rede extra-hospitalar. [acessadomai 20]. Disponível em: Link arquivos/pdf/Reforma.pdf , (2007) .
  13. Brasil. Portaria nº 336 de 19 de fevereiro de Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Diário Oficial da União 2002; 20 fev , (2002) .
  14. Brasil. Portaria nº 224 de 29 de janeiro de Dispõe sobre normas e diretrizes para os atendimentos hospitalares e extra-hospitalares. Diário Oficial da União 1992; 30 jan , (1992) .
  15. Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Relatório Final da 3ª Conferência Nacional de saúde Mental. Brasília: Ministério da Saúde , (2002) .
  16. Bichaff R. O trabalho nos centros de atenção psicossocial: uma reflexão crítica das práticas e suas contribuições para a consolidação da reforma psiquiátrica [dissertação]. São Paulo (SP): Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo , (2006) .
  17. Oliveira AGB. A reforma psiquiátrica em Cuiabá/MT: análise do processo de trabalho das equipes de saúde mental [tese]. Ribeirão Preto (SP): Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo , (2003) .
  18. Arejano CB. Reforma Psiquiátrica: uma analítica das relações de poder nos serviços de atenção a saúde mental. Pato Branco: Rotta , (2006) .
  19. Saraceno B. Libertando identidades: da reabilitação psicossocial à cidadania possível. Rio de Janeiro: Te Corá/Instituto Franco Basaglia , (1999) .
  20. Campos GWS. Saúde Paidéia. 2ª ed. São Paulo: Hucitec , (2003) .
  21. Cunha GT. A construção da clínica ampliada na atenção básica. São Paulo: Hucitec , (2005) .
  22. Merhy EE. Em busca do tempo perdido: a micropolítica do trabalho vivo em saúde. In: Merhy EE, Onocko R, organizadores. Agir em saúde: um desafio para o público. São Paulo: Hucitec , (1997) .
  23. Merhy EE. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec , (2002) .
  24. Almeida Filho N. Transdisciplinaridade e Saúde Coletiva. Cienc Saude Colet 2(1/2) , 5-23 (1997) .
  25. Souza AC. Em tempos de PSF. Novos rumos para Saúde Mental [dissertação]. Rio de Janeiro (RJ): Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca , (2004) .
  26. Campos GW. Um método para análise e co-gestão de coletivos. São Paulo: Hucitec , (2000) .
  27. Sampaio JJC, Barroso CMC. Centros de Atenção Psicossocial e Equipes de Saúde da Família: diretrizes e experiências no Ceará. In: Lancetti A. Saúde Loucura 7. 2ª ed. São Paulo: Hucitec , (2001) .
  28. Lancetti A. Saúde Mental e Saúde da Família. In: Lancetti A. Saúde Loucura 7. 2ª ed. São Paulo: Hucitec , (2001) .
  29. Scóz TMX, Fenili RM. Como Desenvolver Projetos de Atenção à Saúde Mental no Programa de Saúde de Família. Revista Eletrônica de Enfermagem [periódico na Internet][acessado 2006 nov 22]; 5(2):[cerca de 7 p.]. Disponível em: <http:/www.fen.ufg.br/revista> , (2003) .
  30. Campos CMS, Soares CB. A produção de serviços de saúde mental: a concepção de trabalhadores. Cienc Saude Colet [periódico na Internet][acessado 2006 nov 22]; 8(2): [cerca de 8p.]. Disponível em: Link , (2003) .
  31. Machado APC, Mocinho RR. Saúde Mental: um desafio no Programa de Saúde da Família. Boletim da Saúde 17(2) , 159-170 (2003) .
  32. Tanaka OU, Lauridsen-Ribeiro E. Desafio para a atenção básica: incorporação da assistência em saúde mental. Cad Saúde Pública 22(9) , 1845-1853 (2006) .
Expand