1 Psicologia em Estudo 2009 Vol: 14(1):. DOI: 10.1590/S1413-73722009000100004

Grupo multifamiliar: espaço para a escuta das famílias em situação de abuso sexual

We present an evaluation research of the participation of families, who received a notification and were handed over by the Justice, in the Multifamiliar Groups. These families passed by the psychosocial study as a consequence of having one child or adolescent in a situation of sexual abuse. Twenty eight families were contacted but we could only interview eight. Our objective was to focus on the relation among the families, among the internal groups of each family unit and among the families and the professionals present in the Multifamiliar Group sessions. We sought to know the benefits and limits of the psychosocial intervention. The evaluated changes occurred in the relationships with a higher physical contact with the children, in a higher conversation among the family members and in the acceptance of orientation from professionals. The results also indicated the need for creating leisure opportunities with the children/adolescents who were abused and for having time available to listen to them.

Mentions
Altmetric
References
  1. Baranes Bandeira, L., & Almeida, T. M. C. Pai e avô: o caso de estupro incestuoso do pastor. Em M. Suárez & L. Bandeira (org.), Violência, gênero e crime no Distrito Federal (pp. ). Brasília: Paralelo , 147-172 (1999) .
  2. Bandeira, L., Almeida, T., & Menezes, A. (orgs.). Violência contra as mulheres: a experiência de capacitação das DEAMs no Centro-Oeste. Brasília: AGENDE , (2004) .
  3. Barbier, R. A pesquisa-ação (L. Didio, Trad.). Brasília: Plano , (2002) .
  4. Bergman, J. Pescando barracudas. Pragmática de la terapia sistemica breve. Buenos Aires: Paidós , (1986) .
  5. Boszormenyi-Nagy, I., & Spark, G. Lealtades Invisibles. Buenos Aires: Amorrortu , (1983) .
  6. Bowen, E. Principles and Techniques of Multiple Family Therapy. In P. Guerin Jr. (ed) Family Therapy. Theory and Practice . New York: Gardner Press , 388-404 (1976) .
  7. Bucher, J. S. N. F. Mitos, segredos e ritos na família I. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 1(2) , 110-117 (1985) .
  8. Cirillo, S., & Di Blasio, P. Niños maltratados. Diagnóstico y terapia familiar. Buenos Aires: Paidós , (1991) .
  9. Costa, L., Penso, M. A., & Almeida, T. M. Intervenções psicossociais a partir da justiça: garantia de direitos humanos para crianças e adolescentes vítimas de violência sexual. Em G. Maluschke, J. S. N. F. Bucher-Maluschke & K. Hermanns (orgs.), Direitos humanos e violência: desafios da ciência e da prática (pp. ). Fortaleza: Fundação Konrad Adenauer , 259-272 (2004) .
  10. Costa, L. F, Penso, M. A., & Almeida, T. O grupo multifamiliar um método de intervenção em situações de abuso sexual infantil. Psicologia USP, 16(4) , 121-146 (2005) .
  11. Costa, L. F., Gramkov, G., Santana, P., & Ferro e Souza, V. A transgeracionalidade em famílias com abuso sexual. Em L. F. Costa & T. Almeida (Orgs.), Violência no cotidiano: do risco à proteção (pp. ). Brasília: Liber Livros , 75-86 (2005) .
  12. Costa, L. F, Penso, M. A., & Almeida, T. Famílias com abuso sexual infantil: o dilema entre a mudança e a cristalização de influências transgeracionais. Em C. M. O. Cerveny (Org.), Família em movimento (pp. ). São Paulo: Casa do Psicólogo , 203-226 (2007) .
  13. Costa, L. F., & Lima, H. G. D. de. Abuso sexual. A justiça interrompe a violência. Brasília: Liber Livros , (2008) .
  14. Costa, L. F., Penso, M. A., Almeida, T. M. C de, & Ribeiro, M. A. (no prelo). A justiça é demorosa, burra e cega. Percepções de famílias sobre a dimensão jurídica dos crimes de abuso sexual. Boletim de Psicologia , .
  15. Dabas, E. Red de redes. Las prácticas de la intervención en redes sociales. Buenos Aires: Paidós , (1993) .
  16. Lei n. 8069/90, de 13 de Julho de(1990, 16 de julho). Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Diário Oficial da União, Seção I , (1990) .
  17. Giffin, K. Pobreza, desigualdade e eqüidade em saúde: considerações a partir de uma perspectiva de gênero transversal. Cadernos de Saúde Pública, 18(suplemento) , 103-112 (2002) .
  18. Gonçalves, C. S., Wolff, J. R., & Almeida, W. C. Lições de Psicodrama. São Paulo: Áglora , (1988) .
  19. González Rey, F. Epistemologia cualitativa e subjetividade. São Paulo: EDUC , (1997) .
  20. González Rey, F. La investigacion cualitativa en psicologia. Rumbos y desafios. São Paulo: EDUC , (1999) .
  21. Habigzang, L. F., Koller, S. H., Azevedo, G. A., & Machado, P. X. Abuso sexual infantil e dinâmica familiar: aspectos observados em processos jurídicos. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 21(3) , 341-348 (2005) .
  22. Habigzang, L. F., Azevedo, G. A., Koller, S. H., & Machado, P. X. Fatores de Risco e de Proteção na Rede de Atendimento a Crianças e Adolescentes Vítimas de Violência Sexual. Psicologia: Reflexão e Crítica, 19(3) , 379-386 (2006) .
  23. Holzmann, M. E. F. & Grassano, S. M. Multifamílias. Construção de redes de afeto. Curitiba: Integrada , (2002) .
  24. Hooper, C-A. Madres sobreviventes al abuso sexual de sus niños. Buenos Aires: Nueva Visión , (1994) .
  25. Lane, S. T. M., & Sawaia, B. B. La Psicología Social Comunitaria en Brasil. En E. Wiesenfeld y E. Sánchez (Comp.), Psicología Social Comunitaria. Contribuiciones Latinoamericanas (pp. ). Caracas: Fondo Editorial Tropykos , 69-112 (1995) .
  26. Laquer, H. P. Multiple Family Therapy. In P. Guerin Jr. (ed.), Family Therapy. Theory and Practice (pp. 405 - 416). New York: Gardner Press , (1976) .
  27. Laquer, P. Terapia Familiar Múltipla: Perguntas e Respostas. Em D. Bloch (coord.), Técnicas de Psicoterapia Familiar (M. Klalil & Y. S. Imperatrice, Trads.) (pp. ). São Paulo: Atheneu , 93-107 (1983) .
  28. Lima, C. M. Infância ferida: Os vínculos da criança abusada sexualmente em seus diferentes espaços sociais. Dissertação de Mestrado não publicada, Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica e Cultura, Universidade de Brasília, Brasília , (2007) .
  29. Machado, L. Sexo, estupro e purificação. Em M. Suárez & L. Bandeira (Orgs.), Violência, gênero e crime no D. Federal. (pp. ). Paralelo: Brasília , 297-352 (1999) .
  30. Minuchin, P., Colapinto, J., & Minuchin, S. Trabalhando com Famílias Pobres (M. F. Lopes, Trad.). Porto Alegre: Artes Médicas , (1999) .
  31. Moreno, J. L. Psicoterapia de Grupo e Psicodrama. (A. C. M. Cesarino Filho, Trad.) (2ª ed.). Campinas: Psy , (1993) .
  32. Nogueira, S. E., & Sá, M. L. B. P de. Atendimento psicológico a crianças vítimas de abuso sexual: alguns impasses e desafios. Em M. C. C. A. Prado (Coord.), O mosaico da violência. A perversão na vida cotidiana (pp. ). São Paulo: Vetor , 47-102 (2004) .
  33. Penso, M. A., Costa, L. F., & Almeida, T. M. C. Pequenas histórias, grandes violências. Em L. F. Costa & T. M. C. de Almeida (Orgs.), Violência no cotidiano: do risco à proteção. (pp. 125 – 137). Brasília: Universa , (2005) .
  34. Ricci, M. B. R. (coord.). Relatório de pesquisa Abuso Sexual contra a Criança e o Adolescente: Atendimento Multifamiliar. Contagem: PUC Minas/ Serviço Sentinela da Prefeitura Municipal de Contagem / Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Contagem , (2007) .
  35. Santos, B. S. Um discurso sobre as ciências. (11ª Ed). Porto: Afrontamento , (1999) .
  36. Sebold, J. Indicadores de Abuso Sexual de Meninos e Adolescentes. Recuperado em 01 de Fevereiro, de 2008 em Link , (1987) .
  37. Selosse, J. Les intervections des psychologues en justice. Psychologie Française, 34(4), 293 – 300 , (1989) .
  38. Sinclair, C., & Martínez, J. Culpa o responsabilidad: Terapia con Madres de Niñas y Niños que han sufrido Abuso Sexual. Psyche, 15(2) , 25-35 (2006) .
  39. Sluzki, C. E. Violência Familiar e Violência Política: implicações terapêuticas de um modelo geral. Em D. F. Schnitman (Org.), Novos Paradigmas, Cultura e Subjetividade (J. H. Rodrigues, Trad.) (pp. ). Porto Alegre: Artes Médicas , 228-243 (1996) .
  40. Suárez, M., Silva, A. P. P. M da S., França, D. J., & Weber, R. A noção de crime sexual. Em M. Suárez & L. Bandeira (Orgs.), Violência, gênero e crime no Distrito Federal. (pp. ). Brasília: Paralelo , 29-56 (1999) .
  41. Vizir, P., Bringiotti, M. I., Peroni, G., Nyman, A., Tablado, A., Label, H. P., & Crescini, S. Abuso sexual infantil. Sistemas Familiares y otros sistemas humanos, 20, 119-132 , 1-2 (2004) .
  42. Volnovich, J. R. A psicanálise de crianças e sua inclusão nas práticas político-sociais. Em J. R. Volnovich (Org.), Abuso sexual na infância (pp. ). Rio de Janeiro: Lacerda , 187-200 (2005) .
Expand