1 Texto & Contexto - Enfermagem 2009 Vol: 18(3):. DOI: 10.1590/S0104-07072009000300022

Aplicativo informatizado com o nursing activities score: instrumento para gerenciamento da assistência em unidade de terapia intensiva

Patients severity or the number of interventions will not always be proportional to the nursing staff's work load. This descriptive study aimed at demonstrating the trajectory for designing a computer application (software) with Nursing Activities Score content and its operational characteristics. A pilot test was conducted with 12 patients, which was followed by data collection from 123 patients for 90 consecutive days. Compatibility was observed in wireless data transmission from the Personal Digital Assistent to the desk computer. This application's construction resulted in a data collection and administration system, as well as enabled graphic interface. The use of the software allows for the utilization of a technological system with daily applications, with the support of a database concerning the characteristics of required care. With better understanding of the development of such variables during hospitalization, nurses will be able to plan, intervene, and evaluate care quality.

Mentions
Figures
Figure 1 Figure 2 Figure 3
Altmetric
References
  1. Terzi RG, Gómez MI, Araújo S, Dragosavac D, Falcão AL, Machado HC. Índices prognósticos em medicina intensiva III: modelo UNICAMP. Rev Bras Terap Intensiva.Jan-Mar; 14(1) , 6-21 (2002) .
  2. Dias AT, Matta PO, Nunes WA. Índices de gravidade em Unidades de Terapia Intensiva adulto: avaliação clínica e trabalho da enfermagem. Rev Bras Terap Intensiva.Jul-Set; 18(3) , 276-80 (2006) .
  3. Knaus WA, Zimmerman JE, Wagner DP, Draper EA, Lawrence DE. APACHE – Acute physiology and chronic health evaluation: a physiologically based classification system. Crit Care Med.Aug; 9(8) , 591-7 (1981) .
  4. Le Gall JR, Loirat P, Alperovitch A, Glaser P, Granthil C, Mathieu D, et al. A simplified Acute Physiological Score for ICU patients. Crit Care Med.Nov; 12(11) , 975-7 (1984) .
  5. Teres D, Lemershow S, Avrunin JE, Pastides H. Validation of the mortality prediction model for ICU patients. Crit Care Med.Mar; 15(3) , 208-13 (1987) .
  6. Tranquitelli AM, Padilha KG. Sistemas de classificação de pacientes como instrumento de gestão em Unidades de Terapia Intensiva. Rev Esc Enferm USP.Jan-Mar; 41(1) , 141-6 (2007) .
  7. Ourcellón AA, Acunã L, Pilar M, Cancino U, Cecília A. Revisión de los sistemas de medición de intervenciones de enfermería utilizados en Unidades de Cuidado Intensivo. Rev Chil Med Intensiva. 20(4) , 221-6 (2005) .
  8. Miranda DR, Raoul N, Rijik A, Schaufeli W, Iapichino G. Nursing activities score. Crit Care Med.Fev; 31(2) , 374-82 (2003) .
  9. Queijo AF. Tradução para o português e validação de um instrumento para medida da carga de trabalho de enfermagem em unidade de terapia intensiva: Nursing activities score (NAS) [dissertação]. São Paulo (SP): Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem , (2002) .
  10. Conishi RMY, Gaidzinski RR. Nursing Activities Score – como instrumento de medida de carga de trabalho de enfermagem em UTI adulto. Rev Esc Enferm USP.Set; 41(3) , 346-54 (2007) .
  11. Dias MCCBH. Aplicação do Nursing activities score (NAS) como instrumento para medir a carga de trabalho de enfermagem em UTI cirúrgica cardiológica [dissertação]. São Paulo (SP): Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem , (2006) .
  12. Gonçalvez LA, Padilha KG. Fatores associados à carga de trabalho de enfermagem em unidade de terapia intensiva. Rev Esc Enferm USP.Dez; 41(4) , 645-52 (2007) .
  13. Silva MCM. Fatores relacionados com a alta, óbito e readmissão em unidade de terapia intensiva [tese]. São Paulo (SP): Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem , (2007) .
  14. Bochembuzio L, Gaidzinski RR Instrumento para classificação de recém-nascidos de acordo com o grau de dependência de cuidados de enfermagem. Acta Paul Enferm.Out-Dez; 18(4) , 382-9 (2005) .
  15. Ducci AJ, Padilha KG. Nursing activities score (NAS): estudo comparativo da aplicação retrospectiva e prospectiva em Unidade de Terapia Intensiva. Acta Paul Enferm.Out-Dez; 21(4) , 581-7 (2008) .
  16. Sousa CR, Gonçalves LA, Toffoleto MC, Leão K, Padilha KG. Preditores da demanda de trabalho de enfermagem para idosos internados em unidade de terapia intensiva. Rev Latino-am Enfermagem.Mar-Abr; 16(2) , 218-23 (2008) .
  17. Koerich MS, Backes DS, Scortegagna HM, Wall ML, Veronese AM, Zeferino MT, et al. Tecnologias de cuidado em saúde e enfermagem e suas perspectives filosóficas. Texto Contexto Enferm. 15(Esp) , 178-85 (2006) .
  18. Schramm FR, Escosteguy CC. Bioética e avaliação tecnológica em saúde. Cad Saúde Pública.Out-Dez; 16(4) , 951-61 (2000) .
  19. Santos MS, Martinez EYD. A introdução da informática na prática de enfermagem: possibilidade de mudanças na gestão do processo de trabalho. In: Anais do 8º. Simpósio Brasileiro de Comunicação em Enfermagem [Anais online];Mai ; São Paulo, SP, Brasil; 2002 [acesso 2008 Jan 16]. Disponível em: Link , 2-3 (2002) .
  20. Marin HF, Marques EP. Nursing informatics: learning from the past to build a new future. Rev Bras EnfermMar-Abr; 58(2) , 143-6 (2005) .
  21. Ministério da Saúde (BR). Portaria Nº 3432, de 12 de agosto de Estabelece critérios de classificação para as Unidades de Tratamento Intensivo – UTI. Diário Oficial da União, 13 Ago 1998. Seção I. p , 108-10 (1998) .
  22. Alavi, M. An Assessment of the Prototyping Approach to Information System Development. CACM.Jun; 27(6) , 556-63 (1984) .
  23. L Burness, D Higgins, A Sago, P Thorpe. Wireless LANs - present and future. BT Technology J.Jul; 21(3) , 32-47 (2003) .
  24. Weissinger, A. Keyton, ASP: o guia essencial. Rio de Janeiro (RJ): Editora Campus , (2000) .
  25. Baumgart.DC Personal digital assistents in health care: experienced clinicians in the palm of your hand? Lancet.Oct 366, 1210-22 (2005) .
  26. Gonçalvez LA, Padilha KG. Nursing activities score (NAS): proposta para aplicação na prática em Unidades de Terapia Intensiva. Prat Hosp.Nov-Dez 42, 195-9 (2005) .
  27. Lundgrén-Laine H, Luominen T. Nursing intensity and patient classification at an adult intensive care unit (ICU). Intensive Crit Care Nurs.Apr; 23(2) , 97-103 (2007) .
  28. Dal Sasso GTM, Martins CR. Tecnologia: definições e reflexões para a prática em saúde e enfermagem. Texto Contexto Enferm.Jan-Mar; 17(1) , 11-2 (2008) .
Expand