1 Physis: Revista de Saúde Coletiva Vol: 18(4):. DOI: 10.1590/S0103-73312008000400009

Saúde suplementar no Brasil: o papel da Agência Nacional de Saúde Suplementar na regulação do setor

This paper aimed to contextualize the Supplemental Health in Brazil, as well as the organization and regulation of this sector, based on literature analysis and on a critical view of the subject. The construction of a supplemental health system took many years and disputes among the several sectors, and the progress came after many years, culminating with the creation of the National Agency of Supplemental Health (ANS) and its later implementation. ANS was in charge of defending the public interest in the supplemental health care and to regulate the sectorial operators, also in their relations with services rendering and consumers, helping develop health actions. Since the number of beneficiaries exceeds 40 million people, the National Agency of Supplemental Health is a reality and a necessity for the Brazilian health sector. ANS's possibilities are excellent with the creation, verification and spreading of quality, promotion and integral health care indicators, and the search for operators' qualification stimulates regulation. On the other hand, it is needed that ANS acts more directly in the confusing relations among health plans operators, services rendering and beneficiaries, mediating tensions and contributing to the improvement of health care system as a whole.

Mentions
Altmetric
References
  1. ACIOLI, G.G. A saúde no Brasil: cartografias do público e do privado. São Paulo: Hucitec , (2006) .
  2. _______. Caderno de Informações da Saúde Suplementar: beneficiários, operadoras e planos. Ano 1 (setembro, Rio de Janeiro: ANS. 2006 , (2006) .
  3. _______. Caderno de Informações da Saúde Suplementar: beneficiários, operadoras e planos. Ano 1 (junho, Rio de Janeiro: ANS. 2007 , (2007) .
  4. _______. Caderno de Informações da Saúde Suplementar: beneficiários, operadoras e planos. Ano 1 (março, Rio de Janeiro: ANS. 2007 , (2007) .
  5. _______. Caderno de Informações da Saúde Suplementar: beneficiários, operadoras e planos. Ano 1 (junho, Rio de Janeiro: ANS. 2008 , (2008) .
  6. _______. Programa de qualificação da saúde suplementar. Rio de Janeiro: ANS , (2005) .
  7. BAHIA, L. Planos e Seguros Saúde: padrões e mudanças das relações entre o público e o privado no Brasil. Tese (Doutorado em Saúde Pública) – ENSP/FIOCRUZ, Rio de Janeiro , (1999) .
  8. _______. O mercado de planos e seguros de saúde no Brasil: tendências pós–regulação. In: NEGRI, B.; DI GIOVANNI, G. Brasil: radiografia da saúde. Campinas: UNESP p. 325–361 , (2001) .
  9. BAHIA, L.; VIANA. A. Breve histórico do mercado de planos de saúde no Brasil. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Regulação e saúde: estrutura, evolução e perspectivas da assistência médica suplementar. Rio de Janeiro: ANS , (2002) .
  10. BRASIL. Lei nº 9.656. Dispõe sobre os Planos de Assistência à Saúde. Brasília , (1998) .
  11. BRASIL. Lei n.º 9.961/ Dispõe sobre a criação da ANS. Brasília, 2000(a) , (2000) .
  12. BRASIL. Resoluções CONSU. Brasília, 2000(b) , .
  13. BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. Normas Regulamentadoras de Segurança e Saúde do Trabalhador. Brasília , (2005) .
  14. BRASIL. O impacto da regulamentação no setor de saúde suplementar / Ministério da Saúde, Agência Nacional de Saúde Suplementar – Rio de Janeiro: ANS, n. 1 , (2001) .
  15. BRASIL. Ministério da Saúde, Agência Nacional de Saúde Suplementar. Integração do setor de saúde suplementar ao sistema de saúde brasileiro. Rio de Janeiro: ANS, n.2 , (2001) .
  16. BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Saúde Suplementar. Regulação e saúde: estrutura, evolução e perspectiva da assistência médica suplementar. Rio de Janeiro: ANS , (2002) .
  17. BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Saúde Suplementar. Evolução e desafios da regulação do setor de saúde suplementar Rio de Janeiro: ANS, n. 4 , (2003) .
  18. BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Saúde Suplementar. Sistema de Informações de Beneficiários da ANS. Rio de Janeiro, mar/dez , (2004) .
  19. BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Saúde Suplementar. Brasília: CONASS , (2007) .
  20. BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Regulação em Saúde. Brasília: CONASS , (2007) .
  21. CARVALHO, E. B.; CECÍLIO, L. C. de O. A regulamentação do setor saúde suplementar no Brasil: a reconstrução de uma história de disputas. Cadernos de Saúde Pública,v.23, n.9, p. 2167–2177, set , (2007) .
  22. CECÍLIO, L. C. de O. et al. A saúde suplementar na perspectiva da microrregulação. In: MS/ANS. Duas faces da mesma moeda: microrregulação e modelos assistenciais em saúde suplementar. Rio de Janeiro: ANS p. 63–74 , (2005) .
  23. CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Planos de saúde: nove anos após a Lei 9.656/98. São Paulo: CREMESP/IDEC , (2007) .
  24. DUARTE, M.C.R. A assistência suplementar no Brasil: história e características da cooperativa de trabalho Unimed In: NEGRI, B.; GIOVANNI, G. Brasil: radiografia da saúde. Campinas: Unicamp p. 363–393 , (2001) .
  25. IBGE. Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios: Acesso e utilização dos serviços de saúde Rio de Janeiro: Ministério da SAÚDE/IBGE, 2000 , (1998) .
  26. IBGE. Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios: Acesso e utilização dos serviços de saúde Rio de Janeiro: Ministério da Saúde/IBGE, 2005 , (2003) .
  27. INSTITTUO BRASILEIRO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. Planos de Saúde: nove anos após a Lei 9.656/96. São Paulo: CREMESP/IDEC , (2007) .
  28. LIMA, C. R. M. A regulação e a fiscalização do consumo de saúde suplementar no Brasil. Disponível em: <Link Acesso em: mar , (2007) .
  29. LIMA, C.R.M. Informação e regulação da assistência suplementar à saúde. Rio de Janeiro: E–Papers Serviços Editoriais , (2005) .
  30. MALTA, D.C. et al. Perspectivas da regulação na saúde suplementar diante dos modelos assistenciais. Ciênc. saúde coletiva. Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, abr./jun , (2004) .
  31. PEREIRA, C. O marco regulatório no setor saúde suplementar: contextualização e perspectivas. Formulação de políticas para o setor de saúde suplementar no Brasil. Disponível em: www.ans.gov.br/portal/site/biblioteca/biblioteca.asp. Acesso em: mar , (2007) .
  32. REIS, C.O.O. Os desafios da ANS frente à concentração dos planos de saúde. Revista Ciência e Saúde Coletiva, v. 12, n. 4, p. 1.041–1.050 , (2007) .
  33. RONCALLI, A.G. O desenvolvimento das políticas públicas de saúde no Brasil e a construção do Sistema Único de Saúde. In: PEREIRA, A. C. (org.). Odontologia em saúde coletiva: planejando ações e promovendo saúde. Porto Alegre: Artmed p. 28–49 , (2003) .
  34. SALAZAR, A.L.; RODRIGUES, K.; NUNES JÚNIOR, V.S. Assistência privada à saúde: regulamentação, posição do IDEC e reflexos no sistema público. In: BRASIL/MS. Direito sanitário e saúde pública, v. 1 , (2005) .
  35. SCAFF, A. Regulação em saúde suplementar e os modelos de atenção à saúde. Encontro ANS–Operadoras. Florianópolis. Disponível em: www.ans.gov.br. Acesso em: mai , (2007) .
  36. SILVA, A. A. Relação entre operadoras de planos de saúde e prestadores de serviços: um novo relacionamento estratégico. Porto Alegre. Disponível em: <Link Acesso em: jan. 2007 , (2003) .
Expand